terça-feira, janeiro 29, 2008

A bem da nação Açoriana


4 comentários:

ACBC disse...

Lá está, "Antes morrer livre que em paz sujeito"...

pedro lopes disse...

Não percebo este movimento blogosférico que exalta o "nacionalismo Açórico"???

Eu não compartilho dessa ideologia, nem faço vénias a bandeiras "mortas".

Pedro Rocha disse...

Para falar apenas na parte geográfica, é muito mais lógico um nacionalismo açórico face a Portugal Continental, do que deste último à vizinha Espanha.
Não concordo que a bandeira esteja morta, apenas guardada. Esta é a grande vitória da democracia, para defeitos já bastam os políticos que nela sobrevivem.

pedro lopes disse...

Caro Pedro Rocha,

a independência dos Açores, na minha modesta opinião, é um perfeito disparate.
Nunca conseguiriamos sobreviver enquanto arquipélago, sem ajuda exterior. (em meu entender)

Também não vejo que o grito de liberdade de um povo só possa ser dado em Democracia. Isso é o mesmo que dizer que não há força popular numa ditadura.
A nossa Liberdade, o nosso caminho para a Democracia, fez-se depois de 40 anos de um regime facista.
Por isso, as bandeiras podem ser erguidas e guardadas em qualquer tipo de regime.
Eu acho, inclusive, que a maior vontade de Livberdade cresce, justamente, devido ao "espartilho" de regimes ditatoriais.

Quanto a Portugal integrar Espanha; também não me parece lógico nem, obviamente, realista.
Mais depressa se "desmembra" Espanha...
Fazemos parte da UE, e é esse o caminho que devemos trilhar, pois só integrados numa comunidade de Estados forte e coesa, teremos algumas (ainda que poucas) hipóteses de ir avançando num Mndo cada vez mais Global e, por isso, mais exigente.

Já não há espaço para utopias independentistas.
Tiveram o seu tempo, mostraram a "nossa" vontade e determinação, mas perderam o sentido depois de amadurecida (ainda que pouco e mal) a nossa Democracia e do sólido crescimento da nossa autonomia. (há o Estuto Politico Administrativo a ser discutido para votação na AR)

Devemos empenharmo-nos em melhorar, em dar o nosso contributo e, mais importante, em retirar a confiança e o voto aos "politicos defeituosos".
Mas, pelo menos eu, não embarco em loucuras independentistas.

Por isso, ainda que bela, esta bandeira, por aquilo que representa, para mim é peça de Museu, merecendo o devido destaque, pois faz parte da nossa História.

Cumprimentos