sexta-feira, janeiro 11, 2008

Afinal?


Mas alguém me pode explicar porque é que o Ministro Mário Lino devia pedir a demissão, só porque mudou de opinião?

E porque é que esse intratável Paulo Portas vem dizer que esta decisão o desautoriza??

E não era esse Paulo Portas que fazia parte de um governo que fazia finca pé na opção OTA?!

Se ainda estivesse no poder a alinaça PP/PSD se calhar a decisão final tinha sido mesmo a OTA!

É que o estudo do LNEC nem coloca em xeque a anterior decisão, porque em sete factores críticos o resultado final foi 4-3.

Mas é com esta classe de politiqueiros que o nosso país (e nós) tem que aguentar!

No meio disto tudo valham-nos as hospedeiras...

Um comentário:

Rui Gamboa disse...

Sem querer defender o Portas (salvo seja), também acho que o Mário Lino deve demitir-se. Vamos lá a ver; uma coisa é mudar de opinião, outra é o que ele fez e disse durante esse tempo todo - não é preciso relembrar, pois não? Mas isso não tem que acarretar demissão. Agora, parece mais ou menos evidente que Mário Lino continua a achar que a Ota é que sim, mas o Sócrates decidiu Alcochete. Acabou a Presidência da UE e ele pode voltar aos assuntos internos. Doutra forma, não há explicação para essa decisão ter estado parada tanto tempo e acontecer no começo do ano. O Ministro das Obras Públicas não teve palavra a dar na decisão da maior obra pública a realizar em Portugal dos últimos não sei quantos anos. E isso tem que acarretar demissão.