sexta-feira, novembro 09, 2007

Fajã do Calhau



Eu a fazer um post sobre a qualidade dos açores e logo a seguir vejo umas imagens que contrariam tudo isso:






Claro que pela imagem mostra que o que eu disse acerca da mediocridade dos nossos governantes é verdade! Quem é que no seu perfeito juízo faz uma coisa destas? Qual é a justificação? Aquelas máquinas estão ou não a trabalhar numa situação de risco? Não haveria mais nada a fazer com todo o dinheiro que está a ser enterrado aqui?




25 comentários:

hapc disse...

Afinal o "até quando" não está assim tão longe....

Pedro Rocha disse...

Realmente, com intervenções destas aqueles que nos governam fartam-se de dar tiros nos pés!

pedro lopes disse...

É triste, escandaloso, e vai contra o Turismo de qualidade e Natureza que almejamos para os Açores.

Uma alarvidade de dinheiro, não enterrado, mas antes gasto para desenterrar.....e agredir a natureza que queremos preservar :(

N.B.- não esquecer semelhante atentado ambiental no Nordeste, na Fajã do Araújo.

Nuno Barata disse...

Além do atentado ambiental que, só por si é gravissimo, acresce o afcto da desnecessidade da obra e o facto dela, quase de certeza, não chegar ao seu terminus. Mesmo que chegue ao fim, durará pouco. Naquelas condições adversas, muito dificilmente as barreira aguentarão a hidrosaturação. A natureza, naquelas condições, encarrega-se de repor o que o Homem destroi, leva é muitos anos.

Pedro Rocha disse...

O Nuno Barata está coberto de razão! mas espero que a obra agora chegue ao fim, porque deixar tudo como aquilo está seria ainda mais catastrófico. Agora também não acredito que aquele acesso vá ter uma vida fácil, é só atentar no tipo de substracto, na nclinação das vertentes e no regime pluviométrico daquela zona.
É, no mínimo, uma obra irresponsável.

H. Blayer disse...

Que barbaridade se está a fazer para aqueles lados.
Não tinha ideia da dimensão da "coisa". Vi-a no início mas nunca mais fui ao local. Quanto custa esta intervenção, no total? Quantas pessoas (moradores) vai servir?
Parece que estão a fazer o mesmo que fizeram com a Fajã do Ouvidor, em São Jorge, que depois de ter caminho asfaltado até lá abaixo, virou "metrópole" porque todos se lembraram de construir uma casinha na Fajã.
Já ouvi gente do governo dizer que a estrada ia servir mais de 100 moradores da Fajã... Já ouvi ambientalistas a dizer que os moradores da Fajã nem aos 20 chegam.
Alguém da oposição já questionou isto como deve ser?
Claro que o mal está praticamente feito, agora não se pode deixar as coisas naquele estado, não?
É muito mau, sinceramente...

Cristina Silva disse...

Seria uma mentira dizer que a Fajã do Calhau tem menos de 20 moradores. Para já, as pessoas não moram lá, mas sim utilizam os seus terrenos e casas lá em várias alturas do ano para cultivar diversos tipos de legumes, árvores de frutos e vinha. Mas o local também simboliza lazer para os que lá vão. A Fajã do Calhau é a maior fajã dos Açores(em termos de terreno) com mais de 80 casas. Penso que não deveriam ser feitos comentários por pessoas que não conhecem a Fajã do Calhau e a sua história. O caminho já era para ser construido à décadas! E o local só poderia ser aquele! Agora, em termos ambientais, sim, estão sendo feitos alguns estragos, mas eram inevitáveis, e a sua destruição trouxe mais bem do que mal para a zona que agora vai ter um acesso de menor perigo(contráriamente com o presente acesso pelo Faial da Terra.) Assim, quem quizer deslocar-se para a a sua fajã, ou mesmo turistas que queiram conhecer a Fajã do Calhau o farão com mais segurança. Terão também um melhor acesso comparado com o presente que destruiu um vasta parte do calhau e trilho e está em via de ser erodido completamente pelo mar. Bem, já têm aqui mais alguma informação para terem em conta para os próximos comentários.

Anônimo disse...

lá vem estes de ponta delgada para aqui mandar bocas...por acaso já estiveram na Fajã?sabem como é o acesso? muito gostam de criticar sem perceberem nada do assunto. Claro que há riscos, e alguns impactes ambientais, mas como disse a cristina em qualquer obra é inevitavel, porque há sempre alteração.Lembrem-se a natureza encontra sempre um caminho...Tenho casa nesta zona de veraneio e estou muito satizfeito com o acesso que se está a construir.A polémica não está nos impactes...mas sim por ser na rmota freguesia onde tá a ser construida(...)a população mereçe...

Anônimo disse...

Temos de pensar em alternativas de desenvolvimento do nosso turismo, e sinceramente o acesso actual pelo faial da terra não é o mais indicado.Se foi feito o estudo dos impactos e espero que tenha sido, então deixem a obra em paz.Já estudei riscos ambientais,embora nao nos açores, pelo que vejo, o unico risco que encontro nesta obra é o de não ser terminada devido a comentários de quem nao conheçe.O risco de movimento de vertente deve ser o mais preoucupante,nunca analisei a fundo as recentes vertentes, mas acho que estão a ser feitos todos os procedimentos para que nao aconteça, este é o risco imediato para a população.Quanto á natureza, haverá de certo recuperação a curto prazo, a nossa fauna e flora são "agressivas" conjugadas com o nosso clima humido não haverá impasses á reflorestação...Agradeço a todos que deixarem comentarios que pelo menos saibam do que estão a falar... Não sou o maior especialista, mas tenho habilitações e formação no assunto para argumentar...Obrigado(Sergio Medeiros Finalista de Geografia Física da Universidade de Coimbra,Natural de Água Retorta.)

Anônimo disse...

Tenham dó... Muito falam sem sentirem na pele o que é isso! Sabem o que é ser de Água Retorta (onde pertence a Fajã do Calhau) e ter que ir sempre pelo Faial da Terra quando queremos lá ir? E passar por uma rocha em grande erosão que qualquer dia mata alguém com o tamanho das pedras lá penduradas?
Pois, não sabem... "Ai porque não se faz aquilo, e é assim e é assado..." mas só quem sente na pele o perigo daquela estrada é que percebe!
Mas vocês são de Ponta Delgada, se for preciso nunca puseram lá os pés mas para criticar ninguém vos ganha! Bah!
Está a ir um pouco e terra para o mar, pronto, ninguém diz que não... "Ai lá se vão os cagarros!"... Qual quê? Passem uma noite na Fajã do Calahu (NOT!) e vão ver a enorme quantidade de cagarros que lá existe.
A contrução daquela estrada é essencial, apesar de estar a ser difícil...
Sem mais nada a acrescentar!
Falem do que sabem, informem-se primeiro, sim?
(Anónomimo, Retortense de sangue)

Anônimo disse...

quando a estrada tiver aberta, voces com com o penteadinho á fodez vão pra lá né?"ah e tal não se faz a estrada que é um pergigo!!!"mas quando tiver pronta lá estão voces todos lá a meter nojo...e não caí uma pedra em cima de voces que era tão bem amanhado...

Anônimo disse...

ai não se faz a estrada, ai o ambiente, ai a fajã não tem moradores nenhuns... mas de pouco a pouco tá uma pessoa lá deitada no calhau e tem de levantar o cu pa passar os "penteadinhos" nos seus jipes (sim porque não sabem deixar os carros já atrás, querem ir com eles até dentro das casas). Era um monte de cagarros cheios de caganeira a abrir fogo sobre vocês!

Anônimo disse...

já agora façam uma manifestação em Agua retorta contra a construção...ia ser tao fixe!!!comiam la bolos levedos que nao iam la mais!!!ahahaha
que brincadeira voces!!deixem aquela freguesia em paz, e para que fique claro a faja do calhau nao tem habitantes permanentes, seus grandes burros!!

Anônimo disse...

Já vi que estão a levar com críticas... É bem feita! muito se fala... só para completar o que disseram acima de mim, concordo! tragam cartazes e venham azer uma manifestação... era chapada velha! a fajã nem tem mais de 20 habitantes... patapumba pa trás! desde quando é que vive lá alguem? aquilo não é casas de passas ferias? bocas de tolos! ai os ambientalistas disseram isto e aquilo... os ambientalistas são uns cócós do caraças que depois tambem vao para la passear as canelas brancas! depois é só amarrar uma pedra ao pescoço e atirar ao mar! chamaços pá!

Anônimo disse...

estive a ver o acesso a semana passada, e o que vejo é que se gastou muito dinheiro.perigo: não vejo nada de perigoso ali... as maquinas trabalham muito espaçadamente sem quaisquer problemas

Anônimo disse...

depois quero ver se têm tomates para irem lá...

Anônimo disse...

As grandes obras são sonhadas pelos gênios, executadas pelos lutadores, desfrutadas pelos felizes e criticadas pelos inúteis crónicos.

Anônimo disse...

Só queria alertar que a foto apresentada nem é da nova estrada que está sendo construída, mas sim do acesso actual à Fajã do Calhau.
Acesso pelo qual milhares de pessoas têm que passar, correndo o risco de levar com pedras em cima, aliás como já aconteceu, a proprietários de casas de veraneio na Fajã.
Realmente deveria ter havido um estudo, sem dúvida, talvez até existissem outras soluções, mas que é uma necessidade para a população daquela zona é concerteza. Lá existem casas de veraneio que passaram de geração em geração, que resiste a manter as tradições no cultivo das vindimas, nos momentos passados à beira mar e debaixo de fogueiras ao luar, ouvindo os cagarros. Sim, para os que não sabem, lá não existe electricidade. E a população só agradece, porque assim temos o nosso pequeno paraíso onde recorremos para descansar, onde todos se conhecem, vivem em clima de amizade e partilha, como já não acontece na grande metrópole. Recorremos à Fajã para fugir à rotina ao quotidiano.
A desvantagem deste caminho, sem dúvida, será os intitulados "novos turistas" e críticos ao caminho que ali trará, acabando com o nosso sossego e paz. Facto que até já vamos notando nos cada vez mais curiosos que aparecem, que nos assaltam as casas e cultivos, servem-se dos nossos grelhadores e mesas/cadeiras exteriores que estacionam dentro dos nosso terrenos, sem respeitar a privacidade de ninguém, mas enfim... é preciso também pensar nas pessoas que ali têm casa e desde que apanharam grandes sustos, nunca mais lá foram. Só por isso.... Porque os restantes lá não nos fazem falta.

Anônimo disse...

Admito que houve um engano e a foto realmente é do novo caminho. Mas a diferença com o caminho por onde passamos é nenhuma, rochas a estalar, caíndo com frequência, sem vegetação que resista, basta irem lá ver...

Anônimo disse...

E já agora, pra ficar bem registado "Porque os restantes lá não nos fazem falta." não é engano nenhum....

Sérgio Medeiros disse...

Rochas a estalar???claro!!!andam la maquinas a trabalhar!!!dah!!Queres já vegetação???aquilo não é as batatas que semeias entre a vinha, nem o tremoço que arrancas para a terra ficar mais macia...Preocupa-te como disseste com os grelhadores...

Sérgio Medeiros disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sérgio Medeiros disse...

Opá acho que não vai dar para te pedir os tais conselhos em agricultura!!!Cultivo das Vindimas?????Uuiiii(não será da vinha?)!!!!Ia ter um não muito mau de colheitas já que nem de agricultura nem português pelos vistos percebes...enfim antes de criticares os outros vê o que escreves...Aquele braço...

Sérgio Medeiros disse...

Ops. Mau ano de colheitas...Substitui se faz favor..(Como o português é lixado).

Anônimo disse...

Sois todos uns teóricos de merda!Por isso é que o País está como está.Já nem se pode navegar descansado na net sem ter que vir aqui dizer que sois uns tristes sem nada para fazer.Ide trabalhar.Em vez de falarem como gente séria falam como autênticos putos.Esse Sérgio até se compreende, 20 anos???rapaz ainda tens muito para aprender!!!Em vez de andares a mandar bocas em blogs estuda mas é!E os outros:falam falam mas não dizem nada!aliás nenhum de vos!!!